sábado, 19 de novembro de 2011

Para entender a ilustração infantil: dicas de leitura




Livro: O que é qualidade em ilustração no livro infantil e juvenil - com a palavra o ilustrador.

O livro reúne pela primeira vez alguns dos nomes mais representativos da ilustração no livro infantil e juvenil do Brasil e de Portugal, que, em harmonia com os objetivos do projeto, demonstram que a arte produzida para crianças e jovens não é "menor" do que a produzida para adultos, pois é de outra natureza, com categorias próprias e um contrato de comunicação peculiar. Por meio de artigos, depoimentos e imagens, trazem para o leitor seus conhecimentos teóricos e experiências, de forma clara, didática e ao mesmo tempo profunda, fornecendo um instrumento de pesquisa ao alcance dos interessados no assunto. O livro é dividido em duas partes: uma de artigos, organizados numa sequência que facilita a compreensão e a visão de conjunto dos temas, outra de depoimentos, em que os ilustradores respondem à pergunta: "O que é qualidade em ilustração no livro infantil e juvenil?". Artigos e depoimentos são seguidos de imagens produzidas pelos autores. Há ainda um depoimento da programadora visual do livro, esclarecendo como foi o processo de idealização do projeto gráfico. - Fonte da sinopse: http://www.2ab.com.br/o-que-e-qualidade-em-ilustracao-no-livro-infantil-e-juvenil-com-a-palavra-o-ilustrador-p449/

Blog: Dez ilustradores geniais de livros infantis - Postagem em blog apresentando 10 feras internacionais da ilustração, não apenas de livros infantis.

Artigos:

Entre a ilustração e a palavra: buscando pontos de ancoragem - As reflexões contidas no artigo são produtos de estudos iniciais da pesquisa “Produção de sentido e a interação texto-leitor na literatura infantil”, iniciada em março de 2003, na UCS, com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio Grande do Sul (FAPERGS). As autoras - Flávia Brocchetto Ramos e Neiva Petry Panozo - consideram que o conceito de texto ultrapassa os limites do código verbal e isso pode ser percebido na literatura infantil, universo em que palavra e ilustração não podem ser dissociadas uma da outra, pois ambas as linguagens são constituidoras de um único texto e objeto artístico: o livro infantil.

A importância do trabalho educativo com ilustrações de livros de literatura infantil - O artigo de Fabiano Colombo (Unesp, câmpus de Marília/SP) discute a importância da ilustração para o letramento infantil e, para isso, realiza cinco oficinas com crianças, no ambiente escolar, com o objetivo de vivenciar as contribuições que as ilustrações trazem ao processo de ensino/aprendizagem.

Explorando as ilustrações de livros infantis: suas possíveis leituras - Artigo de Anelise Zimmermmann (UDESC). Resumo da autora: No livro infantil, muitas vezes as ilustrações são consideradas meros elementos decorativos, servindo apenas de auxílio às palavras. Com isso, a participação dessas imagens na construção das histórias é reduzida, quando não completamente ignorada. Perde-se assim uma importante possibilidade de trabalhar-se o estímulo da leitura visual infantil a partir do livro. Este, entretanto, pode ser usado como um importante instrumento na educação visual da criança, visto que, entre outros fatores, suas características físicas permitem uma observação pausada ao leitor, oferecendo-lhe o tempo que desejar para a reflexão. Além disso, o livro já faz parte do ambiente escolar, o que possibilita uma proximidade com seu público. Sugere-se então, que sejam empregadas as ilustrações de livros infantis em atividades que envolvam a leitura crítica de imagens, seguindo uma abordagem fundamentada na semiótica discursiva buscando, com isso, formar leitores capazes de ler tanto textos verbais, como visuais.

O poder da ilustração no livro infantil. Poeta da imagem, o ilustrador olha seu objeto, que concentra um gesto, construindo um espaço singular de representações. São fragmentos do mundo em seu vai-e-vem, muitas vezes estabelecendo uma relação semântica, ligando partes, unindo situações, outras vezes, distanciando-se do texto para assumir um outro olhar. Mas de qualquer forma, esses fragmentos do espaço visual, da situação (do que deseja recortar) que estabelecem por meio do olhar um diálogo, um atravessamento do pensamento, da palavra, do traço. A ilustração é, então, um signo-pensamento, espécie de poesia. - Trecho do breve artigo de Rodrigo da Costa Araújo (UFF/Fafima) para a revista virtual P@artes.

postado por: prof. Marciano Lopes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário