sábado, 8 de outubro de 2011

História Meio ao Contrário

  O livro de literatura infantil "História Meio ao Contrário", de Ana Maria Machado, é uma das obras nacionais mais consagradas, vendedora dos prêmios:


- Prêmio João de Barro, Prefeitura de Belo Horizonte, 1977;
- Prêmio Jabuti, Câmara Brasileira do Livro, 1978;
- Lista "Melhores do Ano", Fundalectura, Bogotá, 1994.




  Essa história é meio ao contrário pois começa com: "E então eles se casaram, tiveram uma filha linda como um raio de sol e viveram felizes para sempre" ou seja, com o mais tradicional desfecho dos contos infantis. O clássico “Era uma vez...” foi colocado ao final da narrativa com objetivo de surpreender os leitores através de um desfecho totalmente imprevisível e soluções contrárias às encontradas na maioria dos contos de fadas. A autora escreve sobre um reino comandado por uma família real ingênua na qual o rei se espanta ao perceber que o dia havia sido roubado. Dessa forma, as personagens da trama agem de modo diferente dos padrões de comportamento encontrados na maioria dos contos de fadas, e ainda contam com a ajuda de um gigante adormecido, um príncipe encantado e um Dragão Negro.
 
  A leitura dessa obra é interessante pois sua originalidade provoca a inteligência e o senso crítico da criança através da intertextualidade com outros contos de fadas. Boa leitura!

Grupo 5: Obras Premiadas

Um comentário:

  1. As postagens sobre obra premiadas estão medianas na qualidade, regulares, diria. São predominantemente informativas e, por conseguinte, pouco originais. Exploram muito pouco o hipertexto, às vezes esquecendo de indicar e lincar as fontes. Os textos são leves e fluidos, com uma linguagem boa, mas apresentam muitos problemas gramaticais e/ou de digitação (carecem de revisão!). É interessante também apresentar textos de crítica às obras premiadas e/ou recomendadas. Há pouco tivemos duas polêmicas que merecem atenção, entre elas está a polêmica sobre "Caçadas de Pedrinho", do premiado Monteiro Lobato. No blog Cibernsino há um texto sobre a polêmica. Na Revista Digital Emília vocês encontram um artigo da Marisa Lajolo sobre a questão, muito bom!Vejam:
    http://www.revistaemilia.com.br/busca.php?tipo=Artigos
    Este assunto pode ser aproveitado pelo GT6, que trata de autores consagrados (é este o grupo, certo?).
    Até a JIOP, que está com inscrições prorrogadas até dia 14! Não percam!

    ResponderExcluir