domingo, 18 de novembro de 2012

Convite de Jose Paulo Paes para brincar com as palavras


 

Na poesia acima verificamos a presença de um “eu” que não está explicito, no entanto, é detectado pela análise linguística das palavras, uma vez que, em meio ao convite que faz (não somente às crianças, mas também ao leitor em geral), ele se utiliza-se uma linguagem simples, que faz parte do cotidiano infantil - assim como ainda faz, em alguns casos, parte do cotidiano adulto.
 
Uma das características da literatura infantil é a assimetria, um desequilíbrio entre autor e leitor resultante da diferença de idade, experiência, conhecimento de mundo e poder entre o autor, adulto, e o leitor,  criança (ao menos em princípio). No entanto, a assimetria pode ser reduzida caso o texto seja feito por um adulto sem que haja a imposição de um discurso. Esse fato se dá por meio da aproximação entre o narrador e o leitor através de um discurso mais parecido com o da criança.
 
A poesia Convite de José Paulo Paes, assim como, a maioria de sua obra Poemas para brincar (São Paulo: Ática, 2011) apresenta um discurso próximo à criança, uma vez que o autor abre mão da posição de adulto detentor da verdade e merecedor de todo o respeito, para, utilizando-se de palavras que fazem parte do universo infantil, transmitir uma mensagem.
 
Assim, ao ler a poesia Convite, fica fácil verificar o exposto por meio das palavras bola, papagaio, pião, brincar, entre outras, Paes vai construindo uma metáfora de poesia e transmite a mensagem  de  incentivo à leitura da poesia, pois o poema sugere que, assim como é bom e natural brincar, também é ler e fazer poesia.
 
Vale a pena ver mais, por isso convidamos você para visitar o site http://www.revista.agulha.nom.br/jpaulo.html e conhecer outros poemas de Jose Paulo Paes.
   

GT 1 - Poesia infantil
          

Nenhum comentário:

Postar um comentário